O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) confirmou a decisão de condenar o ex-governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, a restituir cerca de R$ 500 mil aos cofres públicos. A penalidade está relacionada a um aumento salarial que o ex-governador concedeu a si mesmo enquanto ocupava o cargo de médico na Secretaria de Saúde do DF, em 2014, durante seu mandato como chefe do Executivo local.

De acordo com a Justiça, a ação de Agnelo Queiroz ao elevar seu próprio salário configurou improbidade administrativa, o que levou à condenação anteriormente. A decisão que mantém a condenação foi tomada após a defesa do ex-governador recorrer à Justiça em busca de reverter a sentença. Em nota, a defesa de Agnelo anunciou a intenção de entrar com um novo recurso, alegando que a cobrança da quantia a ser restituída ao erário do Distrito Federal está em excesso.

O processo também envolve a ex-secretária de Saúde do Distrito Federal, Marília Coelho, que terá que ressarcir os cofres públicos. Segundo os autos, ela foi a responsável por duplicar a carga horária de Agnelo de 20 para 40 horas semanais, uma alteração que ocorreu apenas dois dias antes do término do mandato de Agnelo Queiroz como governador do DF.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

notícias relacionadas

CATEGORIAS

COMPARTILHAR