Projeto de Gestão de Leitos Centralizada é implementado com sucesso no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM)

Iniciativa de monitoramento online beneficia controle de vagas de internação, com 409 vagas sendo acompanhadas

O Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) iniciou nesta semana o projeto de Gestão de Leitos Centralizada, uma iniciativa que traz grandes benefícios para o monitoramento e controle das vagas de internação. Com 409 vagas de internação sendo acompanhadas online, a equipe também tem acesso ao tempo de realização dos serviços de limpeza e hotelaria, prestados por empresas terceirizadas. O projeto, que não gera custos adicionais ao HRSM, visa otimizar a administração hospitalar e permitir que as equipes de assistência aos pacientes e outras áreas do hospital possam se concentrar em suas atividades específicas, sem a necessidade de inserir informações sobre a ocupação de leitos em plataformas digitais.

Uma das principais vantagens apontadas pela superintendente do HRSM, Eliane Abreu, é a redução do tempo de espera para internações. A implantação da Gestão Centralizada de Leitos proporciona um gerenciamento mais efetivo das vagas disponíveis, permitindo uma visão integrada de toda a capacidade instalada nas diferentes áreas do hospital. Além disso, o novo sistema possibilita maior segurança para os pacientes ao longo de todo o ciclo de internação e reduz o desgaste das equipes assistenciais, que antes eram responsáveis pelo processo de gerenciamento dos leitos.

Jonatham Pereira, chefe de regulação do HRSM, destaca que o controle em tempo real da capacidade instalada dos leitos permite uma ocupação mais ágil dos leitos vagos. Anteriormente, as enfermeiras tinham outras prioridades de atendimento aos pacientes, o que atrasava a identificação e disponibilidade de leitos. Com a nova gestão centralizada, essa burocracia agora fica a cargo da regulação, agilizando o processo.

O sistema de informações digitais adotado pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IgesDF) facilitará a oferta rápida de leitos disponíveis. O gerenciamento integrado permitirá que a equipe antecipe possíveis desafios relacionados à disponibilidade de leitos, reduzindo os tempos de espera e proporcionando um atendimento mais ágil e eficiente.

Além disso, o projeto também possibilitará o monitoramento do tempo de realização dos serviços de limpeza e hotelaria prestados por empresas terceirizadas. Os contratos firmados com essas empresas incluem prazos estabelecidos para os serviços de limpeza, arrumação e forração dos leitos, e agora será possível verificar se esses prazos estão sendo cumpridos adequadamente.

O projeto de Gestão de Leitos Centralizada foi concluído em apenas sete meses e tem sido elogiado pelos gestores e profissionais de saúde do HRSM. Máslova Ayres, chefe do Núcleo de Gestão de Leitos Hospitalares do HRSM, ressalta a importância desse novo sistema para a precisão do tempo de permanência dos pacientes e para identificar possíveis gargalos, o que possibilitará reduzir os custos das internações.

Administrado pelo IgesDF desde 2019, o HRSM é parte de uma rede que inclui também o Hospital de Base do DF e 13 unidades de pronto atendimento (UPAs). Com a implementação bem-sucedida do projeto de Gestão de Leitos Centralizada, a expectativa é de uma gestão mais eficiente e aprimoramento na qualidade do atendimento prestado aos pacientes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

notícias relacionadas

CATEGORIAS

COMPARTILHAR